sábado, 29 de dezembro de 2012

Segredo de Família


Eu andava ocupado com a leitura dos scripts do novo filme e em breve as gravações começariam, ou seja, eu precisava criar o personagem dentro de mim. Ler matérias sobre a polícia e ainda teria de fazer aulas de tiro ao alvo. Enfim, eu estava cheio de coisas para fazer após a virada do ano. Enquanto marcava as aulas de tiro ao alvo, ouvi a campainha tocar. Como a Jessica não estava em casa, corri para atender.



Desci as escadas e, ao abrir a porta, avistei duas mulheres, uma idosa e outra adulta de costas conversando.

- Pois não? – Indaguei querendo saber do que se tratava, e esperando que não fossem testemunhas de Jeová! Nada contra, ok?


As duas mulheres viraram e, ao olhar para a mais nova, pude ver de quem se tratava: a irmã gêmea de Flora!
- Senhor Baron, boa noite!
- Oh meu Deus! Boa noite! Aconteceu alguma coisa com a Flora? – Indaguei preocupado.
- Não. Está tudo bem com ela, vim ter uma conversa com o senhor. – A senhora falou.
- Ah! Claro! Entrem! 



Ao entrarmos, perguntei:
- Vocês aceitam um chá, um café, uma água, um suco? Ou até mesmo uma vodka? – Parabéns, Andrew! Falar isso na frente da sogra!
- Não. Obrigada! – Minha sogra falou gentilmente. Notei a cara enfezada da irmã gêmea da Flora.
- Sentem-se!


Sentei com minha sogra e a irmã de Flora permaneceu em pé.
- Prefiro ficar em pé! – Ela falou de forma nada gentil. Agora já sei quem é a gêmea má!
- Begônia! – Minha sogra repreendeu a outra lá.
- Desculpa. – Ela pediu.
- Tudo bem! 



A gêmea má sentou na poltrona e minha sogra começou a falar:
- Andrew, é um prazer conhecê-lo! Desculpe o péssimo humor da minha filha, mas te garanto que não é de família, ok?
- Ah! Tudo bem! Desculpe, mas qual o seu nome? A Flora sempre fala apenas “mamãe”... – Sorri gentilmente.
- Ah sim! Desculpe-me! Meu nome é Carmen! E como já deve ter percebido, esta é minha filha Begônia!
- Ah sim! Prazer! – Um silêncio pairou no ar e resolvi fazer a perguntava que faltava. – Bom... Fiquei preocupado. A Flora está bem mesmo?
- Sim! E eu peço desculpas por vir aqui sem avisar, mas precisava conhecê-lo e ter uma breve conversa... Creio que não vá te atrapalhar.



Pronto. Lá vem!
- Claro que não! – Sorri.
- Andrew, creio que a Flora tenha te falado do ex-namorado dela, não?
- Sim! Ela falou por alto... A decepção amorosa que a levou a ir embora para Barnacle Bay. Certo?
- Sim! Só que Flora não te contou, creio eu, o que realmente aconteceu.

Fiquei levemente assustado.
- Bom... Não. Ela apenas citou o fim do romance.
- Era de se esperar...



- Andrew, existem certas coisas que são tidas como segredos de família, por isso te peço para não comentar nada, nem mesmo com a Flora.
- Claro! Ficará entre nós! – Prometi.
- Esse namorado da Flora foi o seu primeiro amor! Eles namoraram por quase oito anos, até ela descobrir que ele era um verdadeiro golpista! Estava apenas interessado no dinheiro de nossa família! Foi um baque para ela! Ainda mais por ter descoberto... Ao vê-lo... – Ela hesitou.
- Ele transava com a empregada da nossa casa! Era uma das amantes dele! A Flora pegou e terminou. – A gêmea má completou.

Notei que dona Carmen ficou levemente ruborizada e sem jeito. 



- Flora entrou em uma depressão profunda! Tentou suicídio, revoltou-se... Por noites tivemos de procura-la nas ruas. Ela é frágil! Ia para bares, andava com todo o tipo de gente... Pessoas ruins... Ela se rebelou! Já faz quase dois anos que eles romperam... Flora foi internada em uma clínica. Foi o único jeito de não deixá-la sair de casa. De fugir! Entende a dor que passamos?
- Entendo sim... E eu fico chocado por saber disso! Nunca imaginei, dona Carmen! Entendo sua dor.
- E o nosso medo, Andrew, é que você a traia. Todos sabem da sua fama de cafajeste, de galinha, de tudo! – Begônia completou de forma gentil. – Temos medo que você a magoe novamente e que tudo isso aconteça! Você tirou a Flora de um estado de solidão! E... Se vocês romperem, cremos que tudo possa voltar...



Afirmei com a cabeça e analisei a situação. Não estava em meus planos magoar Flora, e nem fazia parte de meus pensamentos casar e manter-me junto a ela para sempre. Foi então que me vi em uma situação extremamente difícil. Se eu continuasse com Flora, não poderia garantir amor eterno  e terminando com ela agora eu poderia fazer com que ela se afundasse novamente em um mar de solidão. 



- Dona Carmen... Begônia... Eu amo a Flora! Não faz parte dos meus pensamentos enganá-la nem traí-la. Como a Begônia falou, eu tenho uma fama... Uma péssima fama! Mas não me envergonho! Eu sou jovem, vivo a minha vida de forma livre e intensa, aliás, eu sempre vivi! A Flora despertou em mim um sentimento bacana... Amor! Ela é a segunda mulher que tenho coragem para assumir um namoro! A primeira foi há anos atrás e terminamos porque precisei ir para Twinbrook estudar, mas isso não vem ao caso. O fato é que eu amo a Flora! E já que, eu me apaixonei por ela, eu não vou ter medo de assumir todos os seus problemas, todas as suas preocupações. Por que é isso que um casal faz! Eu não prometo que vou casar e ter filhos com ela, mas prometo que vou me manter fiel e dar todo meu amor enquanto estivermos juntos. E espero que isso dure sim! A Begônia parece me achar um garoto mimado, inconsequente, mas eu não sou... Eu sei muito bem onde coloco meus pés e sei a gravidade dos meus atos. Eu quero e eu vou fazer a Flora feliz!



Ao terminar meu monólogo, as duas me olharam e sorriram. Fui aprovado pelo “conselho Albuquerque”!
- Mamãe, acho que podemos ir embora! Obrigada, Andrew! – Begônia falou sendo gentil.
- Claro, minha filha! Andrew, muito obrigada! Espero você no Ano Novo em nossa casa! E espero que você faça minha filha feliz!
- Eu prometo! Sobre o Ano Novo... Meu amigo está sozinho, minha irmã está na cidade... Creio que não seja adequado ir a sua casa com uma tropa! – Sorri.
- Fique tranquilo! Vá!
- Se a senhora preferir, podemos fazer tudo por aqui! Será uma honra!
- Veremos! Mas é melhor você fazer o convite à Flora! Para que ela não saiba que tivemos aqui.
- Claro! Ainda hoje ligo pra ela!



Begônia e dona Carmen levantaram e minha cunhada falou:
- Precisamos ir! Meu noivo vai vir nos buscar! Prazer, Andrew! – Ela falou de forma firme. A diferença entre ela e Flora era nítida. Flora tinha um jeito mais suave de falar, uma doçura... Já sua irmã...
- Obrigado por tudo, querido! – Dona Carmen falou dando-me um beijo na bochecha.



Acompanhei as duas até o lado de fora e ao avistar o carro, dona Carmen falou:
- Até breve, Andrew! Prazer conhecê-lo!
- Até, dona Carmen!

Begônia parou ao meu lado e me encarou:
- Nem pense que vou ser uma cunhada bobona, que se faz de cega! Se você trair a minha irmã ou meter ela em alguma confusão, você vai se ver é comigo e com o meu noivo, cunhadinho!

Engoli seco e falei:
- Pode deixar, cunhadinha!
- Estou brincando. Você parece ser gente boa, mas não traia nossa confiança!
- Pode deixar! Até breve!
- Até!

14 comentários:

  1. Ôpa... senti pressão ou é impressão minha?
    acho que o Sr. Baron se meteu em um mato sem cachorro!
    Boa sorte pra achar a saída... ou vc anda na linha ou vai acabar decepado, pela 'flôr' ai... por outro lado, obrigatoriamente, de repente vc tome jeito!

    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luma, querida, será que botaram pressão? D; Não senti tanta... Mas é melhor ficar de olho aberto!
      Eu preciso pensar MUITO! Mas MUITO!
      Eu tomando jeito? Vish!

      Beijos ;**

      Excluir
  2. Por essa vc não esperava,né meu amigo?
    Q responsa!!
    Vc tira de letra,tenho certeza!
    beijãO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Clau! Não esperava essa!
      Será?

      Beijão ;***

      Excluir
  3. Vish! Se meteu em encrenca, hein, And!
    Essa irmã da Flora não parece ser muito flexível... então ande na linha, mocinho! rsrs
    Beijos.

    http://diariosthesims.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que é encrenca mesmo? Não sei... Nem parei para pensar ainda D;
      A Begônia é uma querida! Vai ser ótimo ela ficar longe de mim D; Muito grossa... Não gostei muito D;

      Beijão ;**

      Excluir
  4. OMG! Andrew que responsabilidade que está em suas mãos.
    A partir de hoje vou investigar o antepassado das pessoas antes que querer ou dizer qualquer coisa.
    Coitada da Couve, senti que algo vai te deixar preso a ela, mas se você a ama, não terá qualquer problema, o problema vai ser quando esse amor um dia terminar.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, galego D;
      Você precisa investigar MESMO! Não é Analiy? #assovio
      Tadinha dela! Não chame de couve!
      Será que eu vou suportar isso? D; Não sei!

      Abração! =]

      Excluir
  5. Bom, parece que Andrew está num beco sem saída! :S A cunhada e a sogra fizeram mesmo um ultimato!
    Mas eu não tenho duvidas que ele seja fiel a Flora! :')

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Rita! Eu tenho medo do que possa acontecer...
      Quanto a ser fiel, acho que consigo!

      Beijão ;**

      Excluir
  6. flora, begonia, daqui a pouco ja da pra montar uma floricultura hahah'
    que barra essa da flora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkk' Amei, Ads! Dá mesmo!

      Pois é! A Flora tem uma história triste... Espero poder aguentar com ela...

      Excluir
  7. Olá And... Olá Aníbal... Aníbal, você está esquecendo os Wolffs? Eu amo o Andrew, mas não esqueça a Alícia, o Malcom, a Cristal, o Logan e todos os com o sobrenome Wolff... Mas compreendo que esteja com pouco tempo para jogar. Faça uma atuh quando quiser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anônimo! Diga seu nome depois ;]
      Eu tenho jogado mais com o And por falta de tempo... Além do mais, fiquei meio triste com os Wolffs após as inúmeras mortes =/

      Quando der, farei uma atuh ;]

      Até!

      Excluir