quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Verdades Amargas – Parte II (Final)


Cheguei ao hospital acompanhado de Begônia. Seus pais estavam em casa repousando. Ela entrou no quarto de Flora para avisá-la e depois veio me chamar.
- Entra! E, por favor, não se esquece do que me prometeu!


Entrei no quarto e avistei Flora sentada em um sofá. Caminhei até ela e sentei do seu lado.


- Você está melhor?
- Sim... Já tem quase um mês o acidente. O pior já passou... Digo, o pior dos piores...

Ficamos em silêncio por alguns instantes. Até que falei:
- Por que você escondeu isso de mim, Flora? Por quê? 


Ela abaixou a cabeça e disse:
- Por medo. Quando eu descobri tudo, ia te contar. Só que antes eu soube da conversa entre você, a minha mãe e a Begônia. Vocês traíram a minha confiança. Você sabia de todo o meu problema com álcool no passado, da depressão... Tudo isso.
- Isso não justifica.
- Justifica, Andrew! Eu fiz tudo isso por você! Imagina as manchetes: “Andrew Baron tem filho com ex-dependente de álcool”. Os sensacionalistas iam massacrar você! Era a sua carreira... – Pude ver algumas lágrimas escorrerem pelo seu rosto.
- Eu não ia me importar.


- Andrew, você ia se importar sim! Você só ama a sua carreira! Você ama essa sua vida! Qualquer coisa que te privasse de vivê-la seria um fardo!
- Flora, eu não sou esse monstro que você pensa! Eu tenho sentimentos... Eu continuaria a amar você e essa criança. Você sabe que eu só planejaria ter um filho após um longo relacionamento, mas o que eu sentia por você era algo tão forte, mas tão forte, que eu seria capaz de abrir mão de tudo para viver esse amor!
- Será?
- Eu tenho certeza que sim. – Olhei para ela. – Você me fez sofrer duplamente. Primeiro quando terminou comigo e agora com a perda do nosso filho. Nós teríamos sido felizes...


- Foi tudo culpa minha, Andrew. Não precisa mentir. Eu sei que a Begônia deve ter te enchido para você não berrar comigo. Pode berrar! Eu mereço!
- Não... A dor da perda do nosso filho já é uma mágoa muito grande. Você não foi uma inconsequente. Essa criança poderia ter morrido até mesmo se nós estivéssemos juntos. Foi o acaso. A única coisa pela qual te culpo é por ter me privado de acompanhar esse momento e por ter me privado de te amar...
- Será que você vai me perdoar um dia?
- Olha, Flora... Eu sou humano. Se eu dissesse que te perdoo estaria mentindo. Eu vou estar no mesmo lugar de sempre para o que você precisar... 


Levantei e falei:
- Fica bem. Até breve.

Caminhei um pouco e Flora disse.
- Andrew!
- Oi!
- Pega aquele pen drive em cima da cômoda. Pode levar... Eu tinha essa cópia... São as ultrassonografias... São suas.
- Obrigado. 


Peguei o pen drive e indaguei:
- Flora, onde... Onde ele vai ser enterrado?
- Meu pai organizou tudo aqui em Bridgeport mesmo... Pede o local à Begônia.
- Obrigado. Fica bem!


Cheguei em casa e conectei o pen drive à televisão. À medida que as imagens iam passando, lágrimas e mais lágrimas escorriam pelo meu rosto. Um vazio tão forte tomou conta de mim como eu nunca havia sentido. Eu precisava de um ombro amigo...

12 comentários:

  1. Não, não melhorou em nada a explicação dela! Isso realmente não foi justificativa! O medo dela eu não posso julgar, até porque é uma coisa que qualquer um pode sentir... Mas pensar assim de você amour, acho que foi um pouco demais! Você realmente é um egocêntrico que ama sua carreira, mas é de um filho que estamos falando cara! Qualquer pessoa que te conheça bem o suficiente saberia que você não abriria mão do seu próprio filho!
    Te ver sofrer assim é ruim demais amour, vê se melhora ok!? Fica bem ♥ E ombros amigos é o que não te falta! Precisar, já sabe! *-*

    Beeeeijos mon amour ;** s2
    PS: E essa última foto? Pra chorar né!? ;/ Liiiiinda! rs ><

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, amour! Acho que a Flora é um enigma pra mim. Não entendo a forma dela de "amar"! =/
      Vou melhorar sim, meu bem! Vem cá pra eu chorar no teu ombro! =(

      Beijão, lindona! ♥

      Excluir
  2. Legal, não acompanhei o início, mas gostei muito da trama.

    ResponderExcluir
  3. Coitado dele, que situação. Agora precisa mesmo de um amigo pra desabafar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou responder os dois comentários em um só, Kabuk \õ
      Que bom que tenhas gostado da minha vida! É... Vou contar com um grande amigo agora! Estou precisando de um pouco de descanso!

      Abraço! \õ

      Excluir
  4. Não vou julgar a Flora por que a dor que ela deve estar sentindo neste momento já lhe basta.
    As vezes a vida nos dá golpes e o melhor a se fazer é aprender com os erros. Fiquem bem! =(

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Meg... A Flora já está sofrendo o suficiente... Acho que não preciso dizer nada a ela...

      Vou ficar sim, meu anjo!
      Um grande beijo!

      Excluir
  5. Vish Baron, dessa vez a coisa foi pior do que pensei.
    A Flora já tinha decepcionado, agora foi mais decepcionante ainda. E todo esse tempo a gente falando de filhos e tal, e como seria. Bah, que coisa. Sabe, me deu até certo nojo de Flora, como se ela forçasse esses acontecimentos, como se quisesse, parece até que ela gosta de sofrer e distribuir sofrimento. Como se você fosse realmente jogar um filho no mundo e abandoná-lo por conta de sua carreira, nós sabemos o quanto você amava a Flora e do que seria capaz por ela, mas pelo jeito, ela não tinha conhecimento disso, pra mim ela nunca esteve em seu juízo perfeito.
    Espero que você supere isso, mesmo sendo difícil, procure coisas que te levem para cima, ninguém quer ver você deprimido.

    Beijos Baron, melhoras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Lali! =/
      A Flora está ficando expert em me decepcionar né?
      Vocês sabem o quanto eu a amei/amo/sei lá, mas ela é insegura. Acho que tanto eu quanto ela teríamos de amadurecer muito para que desse certo =/
      Vou superar sim!

      Beijão ♥

      Excluir
  6. Poxa, agora fico triste por isso, imagino a sua situação. :(
    Tu serias desumano se abandonasse o filho por causa da tua carreira. E nada a ver o que ela falou:
    "Andrew Baron tem filho com ex-dependente de álcool"
    O que vale é o amor e não o passado. E ainda mais se você a amou.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, David! É muito triste isso! Eu nunca abandonaria um filho! Mesmo que ele não fosse planejado! A Flora tem muitos erros e eu também. Acho que eu sempre fiz a linha do "não vou ter filhos", que acabei esquecendo de dizer que amaria um quando esse viesse, mesmo que de uma forma inesperada.
      Eu a amei e ainda tenho dúvidas se a amo, mas o tempo dirá qual o melhor remédio...

      Abração!

      Excluir
  7. Awwwwwwwwwwwwwwn :(
    Fiquei com lágrimas nos olhos. Confesso!
    Sinto muito pela sua dor :(

    ResponderExcluir