quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Weakness


Alguns meses depois...

Com o fim das gravações, todos tivemos rumos diferentes, exceto eu. Apesar de ter participado das gravações, tive de continuar com o pessoal da edição em Hidden Springs. 
A vida em Hidden Springs era pacata. Floco havia adorado a vida na nova cidade e eu também. Por um lado, eu estava curtindo um pouco de sossego em minha vida, mas, após 4 meses ali, resolvi que era hora de voltar para casa. Assim que os trabalhos com o filme acabaram, aproveitei meu aniversário e fiquei algumas semanas em Barnacle Bay – já que era aniversário do Tony também. 


Quando voltei para Bridgeport, foi surpreendido pela visita de Christopher.  É claro que meu amigo não perderia a chance de comentar pessoalmente sobre meu fim de namoro com Flora – nós não nos víamos há quase UM ANO –, além de me ironizar por estar numa fase sossegada.
– Baron, vai dizer que você não ficou mexido em ver a Flora no aniversário do Tony?
– Claro que não, Chris! A Flora é como... Uma amiga!
– Aham, Baron! Vai me dizer que você não pensa em mais nada com ela? 


– Chris, eu gosto muito da Flora. Nós já tentamos duas vezes e não rolou. Pronto. É isso!
– Eu finjo que acredito. – Ele riu.
– Não seja tão Andrew, por favor! Só eu tenho o direito de insinuar coisas!

Christopher riu. Continuamos nossa conversa por um bom tempo até que meu amigo foi deitar.


A insônia com a qual eu estava lidando nos últimos meses apareceu naquela noite. Mesmo amando Flora, eu a deixei ir. Por mais que aquilo me doesse, eu sabia que não a faria feliz – pelo menos não naquele momento. Às vezes, amar não quer dizer prender essa pessoa ao seu lado. É preciso que a deixemos livre para ser feliz. Se eu e ela um dia ficaremos juntos, não tenho certeza, mas o amor não é a fraqueza que pensamos. O que nos torna fracos é não tê-los ao nosso lado.

Minha vida iria voltar ao normal.
E eu já sabia qual o caminho.